Desclassificação

D

Desclassificar não é preciso, é urgente

A Desclassificação se apresenta como uma das teorias mais relevantes da construção de perspectivas sobre a organização ordinária dos saberes socialmente oprimidos. Trata-se de uma proposição que vai ao coração do pensamento crítico.

Antonio García Gutierrez oferece, nos últimos 30 anos, uma abordagem dedicada à problematização da Epistemologia da Documentação como uma teoria crítica da organização do conhecimento. Trata-se da desconstrução das racionalidades classificatória, analógica, da metonímia e utópica, bem como digital, com foco na luta social.

Uma epistemologia alternativa, ou uma alternativa epistemológica se coloca: desclassificar o mundo a partir da dialética, apontando para a miséria das normatividades hegemônicas até o momento definidas. 

A teoria central da Organização do Conhecimento se daria, pois, como uma teoria da Organização Ordinária dos Saberes Socialmente Oprimidos: a Desclassificação vislumbra e operacionaliza uma dialética transcultural, sob a via dos tópoi. Em outros termos, sob cada discurso podemos perceber, nas experiências em linguagens documentárias, os dilemas da opressão e da desigualdade. Ali está a fronteira trágica das teorias em Organização do Conhecimento: incluir ou excluir?

© 2018 - Ecce Liber: filosofia, linguagem e organização dos saberes

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ